Moda e Sustentabilidade: qual a relação?

É fácil observar que, de uns tempos pra cá, os consumidores vêm cobrando das grandes empresas posicionamentos e atitudes quanto aos impactos que elas causam nas questões sociais e também ambientais.

Com os empreendimentos relacionados à moda, não poderia ser diferente, principalmente por ser um segmento muito presente no dia a dia de todos. As companhias têm dado mais atenção à moda inclusiva e que gere menos resíduos para o meio ambiente, por exemplo.

O despertar para a consciência sustentável aumentou consideravelmente em todo o mundo. Conseguimos ver mais pessoas preocupadas em preservar o ecossistema e refletindo sobre o que podem fazer para contribuir para uma cadeia menos prejudicial para todos os seres vivos.

A seguir, você vai entender um pouco mais sobre moda e sustentabilidade e alguns movimentos que surgiram dentro do objetivo de se vestir bem e preservar o meio ambiente.

O conceito de Sustentabilidade

Para falarmos sobre moda e sustentabilidade, primeiramente, devemos entender melhor o que é esse conceito tão comentado. 

De acordo com a ONG World Wide Fund for Nature, a mundialmente conhecida WWF, “o Desenvolvimento sustentável é aquele capaz de suprir as necessidades da geração atual, garantindo a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.”

Em seu sentido literal, o termo ‘sustentabilidade’ consiste na capacidade de sustentação de um sistema. O vocábulo latim ‘sustentare’ tem o significado de suster, suportar, conservar em bom estado, manter, resistir. 

No caso do nosso planeta, remete à possibilidade de que seus atributos sejam mantidos ao longo do tempo, mesmo com as interferências nele.

Agora você se pergunta, onde a moda se conecta com esse conceito?

A resposta é: quando pensamos na quantidade de resíduos que essa indústria libera para o meio ambiente. Segundo a ONU, ela é responsável por mais emissão de carbono do que o transporte aéreo e o marítimo juntos! 

O conceito de moda sustentável

Entendeu melhor sobre o que é sustentabilidade? Então, chegou a vez de compreender o que é a moda sustentável. 

Em suma, é um termo guarda-chuva para roupas e acessórios que são criados e consumidos de forma que pode ser, literalmente, sustentada, protegendo o meio ambiente e aqueles que produzem as peças.

É por isso que reduzir as emissões de CO2, abordar a superprodução, reduzir a poluição e o desperdício, apoiar a biodiversidade e garantir que os trabalhadores do setor de confecções recebam um salário justo e tenham condições de trabalho seguras são fatores essenciais para a matriz de sustentabilidade.

Fast Fashion x Slow Fashion

O Slow Fashion é um termo muito comum nas discussões sobre moda e sustentabilidade, já que é um dos pilares do consumo mais consciente.

Inspirado no slow food, que vai contra os padrões exagerados de consumo de alimentos industrializados, o slow fashion preza pelo “menos é mais” e “qualidade em vez de quantidade”.

A proposta é resgatar o valor das roupas e evitar o excesso de descarte, além de diminuir a quantidade de roupas no armário e praticar a criatividade ao escolher os looks do guarda-roupa.

Quando começamos a pensar mais sobre moda e sustentabilidade?

Apesar de grandes nomes como Eileen Fisher, Stella McCartney, Vivienne Westwood e Livia Firth já falarem sobre moda e sustentabilidade há bastante tempo, num contexto geral, esse é um movimento relativamente novo.

Segundo um artigo da revista britânica Dazed, 2018 foi o ano em que a Moda começou a ficar séria em relação à sustentabilidade. 

Em paralelo, outros movimentos relacionados ao tema passaram a se tornar mais expressivos também. Por exemplo, a Baum+Whiteman, consultoria internacional sobre comida e restaurantes, apontou a alimentação vegetariana como a tendência alimentar para 2018.

No mesmo período, o relatório anual Year in Fashion da Lyst, apontou que a sustentabilidade foi um tema central para a indústria, com muitas marcas enfatizando os seus materiais sustentáveis e técnicas de produção. Além disso, houve um aumento de 47% das pesquisas que incluíam termos relacionados ao movimento, entre eles “pele vegan”,“algodão orgânico” e “econyl”.

Moda x Pandemia

Recentemente, a pandemia de Covid-19 também fez com que muita gente refletisse sobre moda e sustentabilidade, repensando o modo de consumir. Afinal, um ambiente doente produziu uma doença que impactou todo o mundo e mais do que nunca a humanidade tem noção da fragilidade do sistema que fazemos parte.

A partir disso, algumas tendências ganharam força, já que as circunstâncias obrigaram o consumidor a repensar seus hábitos de compras. De acordo com a Vogue, o aluguel de roupas de grandes marcas é uma destas práticas que só cresce no mundo todo. Empresas como a Rent The Runaway, por exemplo, devem ultrapassar a marca de vendas de mais de US$ 2,5 bilhões nos próximos anos.

Outra prática que só cresce é o comércio de roupas usadas dentro do conceito da economia circular. O velho e bom brechó ganhou versões digitais modernas e até assinadas por celebridades.

Nesse momento de menos investimento, o upcycling, que basicamente significa dar um novo propósito a materiais que seriam descartados, com criatividade e qualidade, também foi aderido por muita gente.

Segundo o site Ecycle, o termo upcycling foi cunhado pelo ambientalista Reine Pilz, em 1994. Já em 2002, ele se popularizou com a publicação do livro ‘Cradle to cradle: criar e reciclar ilimitadamente’. Desde então, o conceito vem se propagando e conquistando modelos de negócios que procuram otimizar o ciclo de vida de seus produtos e adotar hábitos mais sustentáveis de produção.

O que fazer enquanto consumidor para atrelar moda e sustentabilidade?

Depois de toda essa leitura, neste momento, talvez você esteja pensando no que é possível fazer para continuar investindo nas suas peças favoritas, só que de um jeito mais consciente. Veja algumas dicas, a seguir. 

Compre menos e compre melhor

Apesar do clichê, o “compre menos e compre melhor” é importante quando consideramos que uma quantidade impressionante de 100 bilhões de roupas são produzidas globalmente a cada ano. Antes de fazer uma compra se pergunte: “O que você está comprando e por quê? O que você realmente precisa? Você vai usar pelo menos 30 vezes?”

Loja de segunda mão e vintage

Com peças usadas e vintage cada vez mais acessíveis, considere comprar itens de brechó quando for renovar o seu guarda-roupa. Você não só prolongará a vida útil das roupas e reduzirá o impacto ambiental de seu guarda-roupa, como também encontrará peças diferenciadas e mais difíceis de achar iguais.

Invista em marcas de moda sustentáveis

Comprar melhor também pode significar apoiar empresas que estão promovendo práticas sustentáveis.

Em 2020, a ISLA incrementou a seu portfólio de produtos, uma linha de bolsas feitas artesanalmente de forma sustentável através do uso de resíduos têxteis, aplicando as mais elaboradas técnicas de tecimento manual, firmando um compromisso com a sustentabilidade com a inclusão social de mulheres através do incentivo dessa mão de obra local. 

A Maxi Clutch Rainbow Tiracoloco em Tapeçaria Colorida, a Bolsa Aurora Bucket em Crochê de Sisal – Bronze e a Bolsa Bucket em Palha e Crochê Vichy com Alça de Couro Natural fazem parte dessa linha.

Conheça os materiais

Compreender o impacto dos materiais é crucial quando se trata de fazer compras mais sustentáveis. Uma boa regra é evitar produtos sintéticos virgens, como o poliéster – que compõe 55% das roupas em todo o mundo – pois são derivados de combustíveis fósseis e levam anos para se decompor.

Está refletindo sobre moda e sustentabilidade? Navegue pelo nosso site e escolha sua ISLA, assim você estará adquirindo um produto duradouro, de qualidade e de uma grife que preza pela sustentabilidade.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Bolsa bordada: conheça os diferentes tipos!