Estilistas Brasileiros: um guia de inspiração

O mundo da moda é repleto de estilistas cheios de personalidade que ficaram mais famosos do que as suas próprias criações. No Brasil não é diferente: nosso país possui uma infinidade de estilistas e diretores criativos que construíram o que chamamos de Moda Brasileira. Pessoas que foram inovadoras, olharam para o futuro e desenvolveram peças interessantes. Esses produtos são roupas, sapatos, bolsas, acessórios, linhas de maquiagem e até décor que ajudaram a construir aquilo que chamamos de Identidade Nacional.

Matérias-primas naturais, tecidos de desenvolvimento nacional, peças sustentáveis e responsáveis (social e ambientalmente) são as bases de criações, que misturam prints diversos com aplicações belíssimas. Isso tudo com uma qualidade excepcional, que exportou o selo “Made In Brazil” para o mundo.

Estão preparados para conhecer esses mestres da moda nacional? Vamos lá!

Sílvia Monteiro

A designer autodidata sempre foi apaixonada por estética, mas acabou enveredando para outros caminhos quando foi fazer faculdade. Mineira de Itaúna, Sílvia é graduada em Publicidade e Propaganda e em Administração, e fundou a ISLA de uma forma inusitada. Cansada de procurar por bolsas que atendessem às suas expectativas, resolveu criar peças festivas e diferentes para si! O sucesso foi tão grande, que em 2007 ela fundou a marca de bolsas. Especializada em designs atemporais e inusitados, Sílvia é craque em utilizar matérias-primas diferentes em peças poderosas e autorais.

Carlos Tufvesson

Filho da estilista Glorinha Pires Rabelo, Carlos virou referência nacional no quesito moda festa. Com bom gosto herdado da mãe, ele se graduou em moda na Universidade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, e na prestigiada Domus Academy, em Milão. Suas roupas são verdadeiras obras de arte, que conquistaram desde o jetset nacional até as noivas mais exigentes.

Helô Rocha

Em 2005, Helô criou a Têca, marca de roupas com estilo sofisticado e com um toque feminino. O sucesso de suas coleções se deve ao trabalho delicado feito em materiais nobres, tecidos fluidos e detalhes marcantes. Em 2015, Helô se reinventou, criando a sua marca homônima de peças feitas sur mesure, além de ter tido uma passagem de dois anos pelo Atelier Le Lis, marca de roupas sob medida do grupo Restoque.

Paula Raia

Arquiteta por formação, Paula iniciou a sua carreira ao lado de Fernanda de Goeye. Juntas, fundaram uma das marcas mais bacanas dos anos 2000, a Raia de Goeye, encerrada no final da primeira década do novo milênio. Em 2010, Paula saiu em carreira solo com uma marca homônima que virou hype entre as mulheres chiques. Suas criações são minuciosas e refletem o seu savoir-faire, usando materiais naturais em looks artísticos e delicados.

Ronaldo Fraga

Graduado em Design de Moda pela UFMG e pós-graduado pela Parsons School of Design, em Nova York, o mineiro foi eleito um dos estilistas mais inovadores do mundo pelo Design Museum, de Londres. Ronaldo reúne uma característica ímpar: ele produz peças conceituais extremamente comerciais, que agradam à sua cliente que lota a fila A dos seus desfiles no SPFW. Além de estilista, Ronaldo é autor de livros que tratam sobre o universo da moda, como o consagrado “Caderno de Roupas, Memórias e Croquis”, de 2015.

Glória Coelho

Nascida em Minas Gerais, Glória criou a sua marca em 1974 após passar uma temporada em Paris. Ao longo dos últimos quarenta anos, Glória criou peças que se destacam pela tecnologia e pela inovação, conquistando a mulher sofisticada e urbana. Suas silhuetas minimalistas, geométricas e assimétricas, e suas estampas que fogem do lugar comum, fizeram dela um dos maiores ícones da moda nacional. Glória foi casada com o também estilista Reinaldo Lourenço, e é mãe de Pedro, jovem designer que seguiu o caminho dos pais.

Fernanda Yamamoto

Com marca lançada em 2017, Fernanda já é uma grande referência nacional. Suas criações vão na contramão do mercado, confeccionando peças com modelagens únicas, reverenciando outras culturas e materiais preciosos. Sua criatividade à levou a semanas de moda internacionais para apresentar as suas criações. Sua loja localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, é uma completa imersão no mundo da estilista, que sabe transformar ideias conceituais em roupas extremamente comerciais.

Francisco Costa

Nascido em 1963 em Minas Gerais, Francisco fez a sua carreira nos Estados Unidos. Começou a sua carreira em Nova York, trabalhou na equipe da Oscar de la Renta, e em 2003 foi nomeado Diretor Criativo da Calvin Klein Collection. Na casa, Francisco criou uma mulher sexy e minimalista, cativando as socialites e conquistando as fashionistas mais low profile. Sua trajetória na Calvin Klein o rendeu dois prêmios CFDA, o Oscar do mundo da moda, em 2006 e 2008. Em 2015, Francisco se desligou da marca norte-americana e criou sua linha de produtos de beleza e bem-estar, a Costa Brasil. Suas grandes inspirações são as mulheres brasileiras e as obras de Henri Matisse.

Lethicia Bronstein

Graduada na Central Saint Martins, Lethicia criou um estilo que é característico e altamente reconhecível. Com releituras clássicas e femininas, ela adequou suas criações ao desejo da mulher contemporânea através do trabalho artesanal. Rendas, drapeados, babados e transparência, fazem parte do trabalho da artista, que trabalhou na Le Lis Blanc antes de abrir sua marca homônima.

Cris Barros

Cris Barros

Uma das maiores etiquetas de luxo do país, a marca que leva o nome de sua criadora, equilibra elegância e fluidez em coleções-cápsulas exclusivas. Sua marca registrada são peças com toque feminino, recortes estratégicos e a leveza de tecidos como o algodão e o linho. Com dez lojas espalhadas por cinco cidades brasileiras, Cris é uma das estilistas mais requisitadas por mulheres de bom gosto e elegância.

Alexandre Herchcovitch

Natural da capital Paulista, Alexandre é um dos estilistas nacionais com maior reconhecimento no país. Começou a sua carreira nos anos de 1990, com uma marca própria; ao longo dos anos, colaborou com grifes de joias e marcas de fast-fashion, e desde 2016 é o Diretor Criativo da À La Garçonne, marca fundada em 2009 por Fábio Souza, seu companheiro. Seu trabalho mistura o design primoroso e avant-garde, a materiais inusitados, sua marca registrada.

Zuzu Angel

Uma figura que transpôs os limites da moda e entrou para a história. A estilista Zuzu, nascida em 1921, criava peças de alta qualidade, que valorizavam a cultura brasileira, e ajudaram a definir uma identidade nacional. Ela fazia roupas para serem usadas no dia a dia, diferentemente dos estilistas da mesma época que confeccionavam peças para a noite. A fama de Zuzu como estilista foi determinante para que ela lutasse contra a Ditadura Militar, colocando sob os holofotes questões delicadas, como o sumiço de seu filho, desaparecido político. Faleceu em 1978, vítima de um acidente de carro, que gerou dúvidas sob a veracidade dos fatos. Deixou um grande legado para a história da moda e da luta política.

Adriana Barra

Conhecida por seus vestidos longos estampados, Adriana representou por muitos anos o lifestyle da mulher carioca. Suas peças exploravam, com elegância e delicadeza, materiais nobres e sofisticados, que davam caimento perfeito à suas peças. Adriana era hors concours em peças com desenhos tropicais que conquistaram não só o Rio de Janeiro, mas o país inteiro.  Adriana também já criou peças masculinas e teve outras marcas que possuíam o mesmo mood, destinadas a públicos diferentes. Atualmente, possui um estúdio criativo que abrange diversas formas de arte!

Jum Nakao

Neto de japoneses, Jum tem o seu nome marcado na história da moda por conta da sua excentricidade e pelo uso de materiais não convencionais. Trabalhou na Carmim e na Zoomp e ganhou reconhecimento internacional com a coleção de 2004, Costura Invisível. Nela ele criou peças feitas em papel, usadas por modelos com perucas em formato Playmobil. O desfile/performance virou um documentário e um livro e é parte do acervo permanente de vários dos museus ao redor do mundo.

Patricia Bonaldi

Patricia é uma unanimidade no cenário da moda festa nacional. Fundou a sua grife em 2003, e desde então cria peças luxuosas para a alta sociedade. Com aplicações de tule, bordados e rendas, seus modelos são confeccionados em materiais clássicos e são extremamente delicados. As criações de sua marca homônima são feitas em poucas quantidades, e muitas vezes sob medida. Por isso, Patricia criou uma segunda linha, a PatBo, especializada em peças de festa, com uma pegada mais jovem.

Martha Medeiros

Com raízes nordestinas, a marca de Martha Medeiros se tornou uma das maiores referências brasileiras de trabalho manual. Suas peças são feitas artesanalmente com rendas produzidas em comunidades locais, dando visão a temas como responsabilidade ambiental e consumo racional. Uma das maiores estilistas do país, Martha é reconhecida no exterior, aonde já vestiu celebridades do calibre de Sofia Vergara e Beyoncé.

Dener

Nascido no Pará, Dener Pamplona de Abreu descobriu sua paixão pelo mundo fashion ainda na adolescência. Nos anos de 1960, foi um dos pioneiros da Alta Costura nacional. Em uma época em que a moda brasileira copiava as maisons francesas, Dener ousou levar as suas inspirações tupiniquins para os seus modelos, inserindo cores e estampas em vestidos para a noite. Faleceu em São Paulo, no final da década de 1970, aos 41 anos.

Lilly Sarti

A marca fundada em 2006 pelas irmãs Lilly e Renata, tinha o objetivo de vestir as amigas da dupla. Com o passar dos anos, o estilo Boho Chic/Clássico conquistou o coração de diversas mulheres e fez a etiqueta expandir o seu negócio. Suas peças conseguem ser clássicas e ao mesmo tempo, explorar as tendências do universo fashion. Em 2020 a dupla criou a Relow, marca agênero com princípios sustentáveis.

Lenny Niemeyer

Criadora das primeiras coleções sofisticadas de beachwear nacional, Lenny é uma sumidade quando o assunto é “living life by the pool”. Fundada em 1991, a marca traz o bom gosto em peças que circulam fora das areias e das bordas das piscinas. Elegante, ela ainda tem uma linha de acessórios e de roupas casuais no mesmo mood. Foi a primeira marca de moda praia nacional a não explorar o típico estilo tropical, atingindo uma clientela chique e antenada.

Lino Villaventura

Batizado de Antônio Marques dos Santos Neto, Lino Villaventura nasceu em Belém do Para, em 1951. Lino iniciou a sua carreira em 1978 e em 1982 abriu a sua marca em parceria com Inez Villaventura. Ele utiliza uma modelagem mista, com recortes variados e muito coloridos,  criando desde vestidos de festa, até peças mais casuais. Lino é especialista em peças femininas, mas já se aventurou em outras áreas como o masculino, e os figurinos para teatro. Suas criações já vestiram celebridades do calibre de Hebe Camargo e Xuxa Meneghel.

 

Agora, você já conhece os principais estilistas nacionais, está na hora de escolher suas peças preferidas deles e a bolsa da ISLA que vai combinar com ela

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Estilo anos 80: como entrar nessa tendência?