Quais são os tipos de bolsas existentes: o guia definitivo!

Um acessório indispensável para elas, a bolsa surgiu com o simples intuito de carregar itens pessoais de uma forma simples e prática. Assim, foram criados modelos diferentes para que as mulheres pudessem variar a peça ou escolher uma que combinasse mais com o seu estilo.

Com o ingresso definitivo das mulheres no mercado de trabalho e com o aumento do seu poder aquisitivo, as bolsas viraram objeto necessário na vida de uma donna. Além de serem extremamente úteis no dia a dia, as bolsas viraram itens de moda, criando um desejo incontrolável delas por novidades.

As bolsas se tornaram um símbolo de status social, viraram um item obrigatório para compor qualquer produção e refletem o estilo, a personalidade e o lifestyle de uma mulher. Existem inúmeros estilos de bolsas e elas são classificadas de diversas formas. Inclusive, algumas delas se encaixam em mais de um estilo. Nesse post você terá um guia completo sobre todos os Tipos de Bolsas existentes, para você não se confundir mais! Vamos lá?

Tipos de Bolsas

 

Hobo bag

A bolsa possui formato meia lua e alça curta e única. Feita para ser usada no ombro, sua silhueta é curvada, diferente das bolsas tradicionais. É uma ótima opção para ser levada no dia a dia. Um exemplo clássico de Hobo Bag é a “Jackie” da Gucci. Criada em 1961, a bolsa foi inicialmente batizada de Constance. Ao longo do tempo a peça caiu nas graças de Jacqueline Kennedy Onassis e logo virou um hit para as mulheres da época. Como forma de homenagem, a Gucci a renomeou para “Jackie”, que virou um clássico da marca e um estilo de bolsa atemporal. No início dos anos 2000, o estilo virou trend e vinte anos depois está de volta aos holofotes da moda!

 

Shopper Bag

Também conhecida como “Bolsa Sacola”, ela é aquela famosa bolsa prática. Feita para ser usada no ombro, ela cabe absolutamente tudo. Possui tamanho grande e não tem fechamento superior, ou seja, você consegue colocar e tirar coisas de dentro dela com muita facilidade. É uma peça atemporal que acompanha a mulher em qualquer lugar: praia, viagem ou trabalho. O modelo Shopper é antigo, mas os seus maiores ícones foram criados no século XXI: a “St. Louis” da Goyard e a “Neverfull” da Louis Vuitton. Rumores dizem que a Vuitton criou a bolsa em 2007 para competir diretamente com o modelo da Goyard. Independente de como nasceram, as duas se tornaram clássicos exemplos de Shopper Bag.

 

Bucket Bag

Caracterizada pela sua alça longa e por seu formato “saco”, a bucket bag é uma opção esperta para quem gosta de uma bolsa despretensiosa que traz charme ao look. Feita para ser usada a tiracolo, ela tem fechamento em cordão e cabe o essencial. O modelo foi criado pela Louis Vuitton em 1930 e reza a lenda que ela foi feita para carregar até cinco garrafas de champagne. Na última década, o modelo voltou a ser hit pelas mãos da dupla Rachel Mansur e Floriana Gavriel, que comandam a Mansur Gavriel.

A Bucket Bag é um dos estilos clássicos de bolsas da ISLA. Ao longo dos anos, foram vários os modelos que fizeram a cabeça das mulheres. A Bucket Rainbow em Tapeçaria Colorida, com alça de bambu e aplicação de pedrarias, esgotou no nosso site. A Bucket LARA, com seus elos enfeitando toda a peça, virou queridinha de blogueiras como Thássia Naves. E o nosso último lançamento, a coleção TEAR, mistura couro e tapeçaria no amado modelo Bucket!

Satchel Bag

A bolsa estruturada tem inspiração nas pastas carregadas por carteiros. Com alças para ser usada no ombro, na transversal ou segurada na mão, ela possui formato retangular. Antigamente era muito usada por homens para o look de trabalho, mas com o passar dos anos foi incorporado ao guarda roupa feminino de forma irreversível.

Dois modelos fizeram a cabeça da mulherada nos últimos anos. O primeiro deles foi a “PS1” da Proenza Schouler: com ar low profile e com design simples, ela foi criada com o objetivo de ser uma “anti-it bag”, mas virou uma verdadeira febre entre as fashionistas. O segundo modelo foi o “Alexa” da Mulberry, que foi criado a partir de uma história divertida. Alexa Chung foi vista usando a pasta masculina “Elkington” da Mulberry e despertou a ideia de criar uma nova bolsa em Emma Hill, designer da marca na época. Emma misturou a pasta masculina com a “Bayswater” – sucesso da grife – e criou a bolsa carteiro batizada de “Alexa”, em homenagem à it girl britância. A bolsa virou um sucesso de vendas mundo afora e permanece como um ícone.  

Bowling Bag

Uma opção elegante para quem busca por uma bolsa eterna! Também conhecida como “Bolsa Baú”, o modelo é um clássico do guarda-roupa feminino! Em tamanho médio, ela possui alças curtas para serem carregadas à mão e é perfeita para ser usada no dia a dia. Existem vários exemplos íconicos de Bowling Bag! A primeira delas é a “Speedy” da Louis Vuitton. Criada para ser uma versão menor da mala “Keepall”, ela foi inicialmete batizada de “Express”. Feita desde 1930 no tradicional monograma da marca, ela caiu nas graças de Audrey Hepburn, que se apaixonou pela peça. Outro exemplo é a “Bowling Bag” da Prada. Classificada como a primeira it-bag do século XXI, ela foi lançada no desfile Spring/Summer 2000 da marca e encantou as fashionistas. A bolsa inspirada em modelos para carregar bolas de boliche dos anos 50 e 60, foi reeditada pela marca em 2019.

A ISLA também tem uma “Bowling Bag” para chamar de sua: parte da coleção Rainbow, a bolsa tem o shape perfeito. Com Tapeçaria confeccionada a partir de resíduos têxteis, a peça possui alça curta em bambu e uma alça longa em couro. Além disso, ela é adornada com pedrarias bordadas a mão e franjas coloridas que deixam o clássico com um ar divertido, sem perder a elegância!

Backpack

Criada para ser carregada nas costas, a tradicional “Mochila” perdeu o estigma de objeto esportivo e passou a ser objeto de luxo. Encontrado em couro, lona, algodão, nylon, e outros materiais, a mochila é ideal para viajar, trabalhar ou passear. Elas sempre estiveram presentes no mundo da moda masculina, mas migraram para as coleções femininas nos anos 90. Quem não se lembra das tradicionais bolsas/mochilas de couro da Fendi, estampadas com o “doppia F” da grife? Era um sucesso! Nos dias de hoje, as mochilas femininas não se mascaram mais de bolsas para usar nas costas e também possuem as suas versões maiores. Nos últimos anos, com a febre das mini bolsas, também apareceram as Mini Backpacks, que fizeram – e ainda fazem – a cabeça das fashionistas de plantão. A versão Mini Backpack da ISLA esgotou no site e fez muito sucesso entre as mulheres!

 

Bumbag

Um item polêmico que vem dividindo opinião há muitos anos, a “Pochete” caiu nas graças das fashionistas nas últimas temporadas de moda. Criadas para caberem apenas o essencial, elas foram popularizadas pela Maison Pourchet na década de 80, que produziu a peça em larga escala. A palavra Pochete é um derivado do nome da maison francesa. Feitas para serem usadas presas à cintura, elas passaram a fazer parte do guarda-roupa de homens e mulheres mundo afora pela segurança, praticidade e liberdade de movimento que ela proporciona. O styling da “Bumbag” é bem variado: além da forma tradicional, ela pode ser usada como cinto em casacos grandes ou atravessada ao corpo. Nossa primeira Bumbag foi lançada na coleção Rainbow e esgotou em nosso site, provando que o apelo fashionista da peça é enorme!

Minaudière

Criada em 1933 pela joalheria Van Cleef & Arpels, a Minaudière foi criada para ser um compacto de beleza feminino, em que ela pudesse carregar apenas o essencial: batom e cigarros. A peça era pequena o suficiente para ser levada à mão e era considerada uma joia. Eram produzidas em metais rígidos e finalizadas com ouro e prata. Com o passar do tempo, passaram a ser adornadas com pedras preciosas e madrepérolas. A Minaudière caiu em desuso quando a mulher precisou levar mais pertences consigo e por isso, virou objeto de museu. Mas em 2019, a peça foi ressignificada por Pierpaolo Piccioli, estilista da Valentino, no desilfe de alta-costura da Casa Italiana. Usada em formato crossbody, a versão século XXI da Minaudière gerou comoção nos fashionistas de plantão.

 

Clutch

Também conhecida como “Bolsa de mão”, a Clutch surgiu como uma substituta à Minaudière: maior que a versão anterior e sem divisões internas, a peça também era feita em metal e adornada com pedras preciosas e madrepérolas. Criada inicialmente para ser usada em eventos de gala, com o passar dos anos a Clutch ganhou versões para o dia a dia. Além disso, ela também ganhou uma alça longa para ser carregada a tiracolo! Uma clutch icônica do século XXI é a “Four Ring” do Alexander McQueen. Criada na primeira década dos anos 2000, ela virou um hit e trouxe a Clutch de volta aos holofotes da moda.

Fundada para ser uma marca de bolsas de festa, a ISLA é hors concours em Clutches! Clássicos para a noite (como a Clutch de Cetim) evoluíram e foram adornadas com Cristais, Marfim e Madrepérolas! Outra opção bacana para a noite são as opções em metal: tem a Aramada, a Metálica em forma de Concha e a Metálica com Alça de Pérolas! Para o dia as opções em palha e ráfia são best sellers da marca: desde a versão em formato de Concha até a tradicional versão retangular em Ráfia, todas são ótimas opções para serem levadas à mão ou a tiracolo.

Carteira

Uma evolução da Clutch, a Bolsa Carteira é maior e não tão estruturada. É uma ótima opção de bolsa de mão para inovar no look. Além disso, ela cabe mais objetos do que a Clutch tradicional. Um exemplo de Bolsa Carteira é a “YSL New Pouch” da Saint Laurent: um clássico!

 

Envelope

Uma evolução da Bolsa Carteira, elas são grandes no comprimento, mas são finas como um envelope – daí vem o nome. São usadas a mão ou a tiracolo e circulam tanto em ambientes formais como informais. Como uma Clutch, ela cabe apenas o essencial!

 

Cantil

Também conhecida como “Bolsa Redonda”, a peça tem esse nome por lembrar o famoso cantil usado pelos soldados do exército norte-americano. Com formato circular e em tamanho pequeno, ela cabe o essencial. Normalmente possui uma alça longa, que possibilita a peça ser usada na transversal ou a tiracolo. Uma opção da ISLA de Bolsa Cantil é a feita em Tweed, Rendada e Bordada. Por conta do trabalho manual, ela é uma peça chique que circula em qualquer evento.

 

Barrel

Criada em 1943, a Barrel Bag nasceu como uma versão da mala Duffel. Em formato de Barril, ela é cilíndrica e era feita em tamanho maior para ser usada por homens como uma mala. Com o passar dos anos, mulheres do mundo do esporte passaram a usar a peça como uma opção para o dia a dia. E é claro que o high-fashion iria surfar nessa onda. Em 1966, a Louis Vuitton criou a “Papillon” uma versão menor da Barrel Bag. A bolsa virou um ícone da marca e já foi reeditada diversas vezes ao longo das últimas décadas.

 

Tote

Um clássico do guarda-roupa feminino, a Tote é um dos modelos mais tradicionais de bolsas. Em tamanho médio ou maxi, ela é bem estruturada, e possui alças paralelas (uma de cada lado da peça) para serem carregadas nas mãos ou nos braços. Um dos modelos mais tradicionais de Tote Bag é a “Birkin” da Hermès. Em 1948, Jean-Louis Dumas, então presidente da Maison, se sentou em um voo ao lado de Jane Birkin e percebeu a dificuldade dela em organizar os seus pertences em uma grande bolsa de palha. Assim, ele a perguntou como seria uma bolsa perfeita. Jane detalhou a ele. Dumas fez anotações e algum tempo depois nasceu a Birkin, uma das bolsas mais icônicas do mundo da moda.

A ISLA é especialista em Tote Bags. E tem para todos os gostos: desde as menores, até as Maxi Bolsas. A recém lançada coleção Handmade Colors é toda composta por Tote Bags: com três modelos grandes e cinco modelos pequenos, ela possui oito variações de cores. A bolsa Olívia mistura couro com palha indiana e material transparente, formando uma Tote única. A coleção TEAR possui uma Tote de couro e tear de sisal. E as Maxi Bolsas em Tear e Couro Natural de Olho Grego e Concha são opções excelentes para quem quer uma Tote que caiba muita coisa.

Baguette

A bolsa em formato retangular, com alça curta para ser usada no ombro, se tornou um clássico do guarda-roupa feminino. O nome do modelo imitou o nome da sua maior precursora, a “Baguette” da Fendi. Em 1997, Silvia Venturini Fendi, designer de acessórios da marca de sua família, queria lançar uma peça que inovasse o guarda-roupa feminino e que vendesse muito, igual pão. Assim criou uma bolsa pequena, em formato retangular que fosse levada debaixo do braço, bem rente a axila, como os franceses carregam as suas baguetes ao voltar das padarias pela manhã. Assim nasceu a “Baguette”. Considerada a primeira it-bag da história, a bolsa caiu nas graças de Carrie Bradshaw – personagem de Sarah Jessica Parker em “Sexy & The City” – e virou objeto de desejo de 10 entre 10 mulheres ao redor do mundo. Outras marcas criaram a sua versão do modelo Baguette: a Louis Vuitton tem a “Pochette Accessoire” e a Prada tem a “Cleo”.

 

Flap Bag

O modelo “Flap” também conhecido como “Aba” é um clássico no mundo da moda. O primeiro modelo foi criado em fevereiro de 1955 por Coco Chanel e foi nomeado de “2.55”. Com alça de corrente – que pode ser usada longa ou curta – a bolsa retangular tinha couro matelassê e era fechada por uma aba superior. A peça virou um clássico da maison francesa e inspirou outros modelos da Chanel como o “Classic Flap Bag”. Criado por Karl Lagerfeld em 2005, a bolsa é uma releitura da tradicional criação de mademoiselle com algumas poucas variações. Dentre elas está o uso do couro caviar e o fechamento com os dois C’s. O estilo Flap virou uma febre na moda e diversas grifes tem a sua própria versão de bolsa com aba.

Um dos grandes clássicos da ISLA é uma Flap Bag: as Tapeçarias. As bolsas feitas em tapeçaria da marca possuem o estilo com aba e alça de correntes de tamanho variável. A peça é um ícone e é sempre reinterpretado em coleções-cápsulas que fazem o maior sucesso.

Frame Bag

O formato lembra o de um porta moeda antigo: possui estrutura de metal na parte superior, fecho “kissing lock” e a parte inferior mais molinha. Feita em diversos tamanhos, o modelo possui uma alça curta para que a bolsa seja levada à mão. É um dos estilos de bolsa mais antigos do mundo! Um exemplo é a “Matelasse Kiss Lock” da Miu Miu.

 

Doctor Bag

Possui esse nome pois lembra as maletas antigas usadas por médicos. O modelo se assemelha a uma “Bowling Bag”, mas tem a parte superior feita em metal – que dá sustentação à bolsa. Possui alça muito curta para ser carregada à mão. Um exemplo clássico é a “16 Bag” da Céline.

 

Mini e Micro Bag

Não se trata exatamente de um estilo, mas sim de uma tendência. O que as define são o tamanho e não o design. As Mini e Micro Bags começaram a aparecer há alguns anos e conquistaram os fashionistas. A ideia é você ter uma versão pequena de uma it-bag. Algumas são tão micro que são usadas como um “chaveiro” pendurado na bolsa-mãe. Elas transmitem delicadeza e podem circular tanto em um evento noturno como no dia a dia: de noite elas ficam chiques e de dia elas ficam divertidas. Como não é um estilo específico, tem um tipo para ser usada de cada forma: como mochila, com alça transversal, na mão ou acoplada a outra bolsa maior.

 

Agora que você já conhece todos os tipos de bolsas existentes, vá até o site da ISLA e tente acertar a classificação das bolsas. As que você acertar, compre! 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Bolsas de Crochê: como criar looks com essa peça?