Slow Fashion: como ter um guarda-roupa cool e sustentável

A moda é reflexo das grandes tendências de comportamento. Ela sempre traz consigo os valores e apelo estético que traduzem os objetivos das gerações que participam dessa produção. Hoje, vamos compartilhar sobre o movimento slow fashion, sua definição e origem, e como investir nessa tendência tão relevante atualmente.

Continue a leitura para saber todos os detalhes e, ainda, como incorporar a produção local e o consumo consciente no seu estilo de vida e looks! 

Afinal, o que é slow fashion?

O movimento slow fashion faz parte da macrotendência de lowsumerism, que busca contrariar a lógica de peças e acessórios que ficam rapidamente datados e fora de moda. O conceito vai contra a ideia de fast fashion: ao contrário de responder com rapidez às tendências efêmeras do mercado, tem como objetivo a busca pela valorização da produção artesanal e práticas eco-friendly de produção.

Como surgiu

O slow fashion é derivado do slow movement, que surgiu com foco em outras áreas de consumo — como a alimentação, por exemplo — e foi adaptado para a moda pela especialista em design sustentável Kate Fletcher. Dessa forma, por definição, slow fashion é uma forma de criar processos e produtos que são sustentáveis, com respeito e ética com o meio ambiente.

A moda slow está lado a lado com todas as práticas éticas, “verdes” e eco-friendly que vêm ganhando cada vez mais força nas últimas décadas. Esse processo incentiva que a produção criativa da moda esteja de acordo com um tempo real e adequado para o planeta, usando um olhar holístico que visualiza como todas as partes da produção, como de uma coleção, estão interligadas. 

Como acontece atualmente

Com o despertar do consumo consciente, o movimento slow fashion já acontece em todo o mundo desde meados de 2007 e 2008 e se fortaleceu por meio da valorização de produtos feitos à mão, o uso de materiais ecológicos e processos de produção e consumo que causam menos impacto no meio ambiente.

Na moda, marcas e coleções slow fashion são caracterizadas com peças clássicas e atemporais — afinal, o objetivo é ser duradouro e não descartável! — e um investimento em tecidos e materiais de qualidade superior às coleções de fast fashion. Além disso, práticas fortes do slow fashion também são o garimpo em brechós, a customização de peças usadas e a valorização de pequenos produtores. 

Como ter um guarda-roupa sustentável?

Não é novidade que a sustentabilidade é um conceito super relevante no século XXI. Contudo, como colocar em prática e fazer disso uma parte da rotina e da sua relação com a moda? A seguir, veja algumas dicas pra mergulhar com tudo nesse universo eco-friendly!

Busque por marcas que falam de sustentabilidade

Com o fortalecimento do movimento slow fashion, cada vez mais vemos essa pauta nas notícias e conteúdos de marcas e especialistas em moda. Com isso, o ponto de partida é buscar conhecimento: procure saber sobre os processos produtivos de marcas que você admira, como elas estão agindo para causar um impacto positivo no planeta, qual é a origem dos materiais que você mais gosta de usar etc.

Aprendendo mais sobre tudo o que é relevante no mundo do consumo consciente, fica fácil identificar o que vale investir e trazer para o seu guarda-roupa de todo dia. Fique atenta!

Conheça os produtores locais da sua cidade

A moda autoral está com tudo e é parte essencial do movimento slow fashion. Para incluir mais desse universo no seu dia a dia, busque conhecer a moda que está perto de você. Redes sociais como o Instagram e o Pinterest, por exemplo, facilitam a busca e a identificação de marcas e produtores que fazem parte da sua comunidade. Explore, peça indicação para amigas, fique de olho nas suas plataformas preferidas de informação e se surpreenda! 

Além disso, é essencial ficar de olho nos brechós e vendas de segunda mão. Afinal, não tem nada mais sustentável do que ressignificar uma peça de roupa ou acessório que já existe no mundo, não é? As comunidades digitais também facilitam — e muito — nessa busca.

Invista em produtos handmade

Produtos feitos à mão estão de acordo com o movimento slow fashion por contrariarem a lógica imediatista e muito rápida da fast fashion. Por isso, busque por roupas e acessórios que tenham como elemento principal as técnicas artesanais e os materiais naturais. Existem técnicas que se destacam nessa área, como texturas trançadas, acabamentos rústicos, tingimentos naturais que geram efeitos únicos, e materiais como madeira, palha e algodão puro.

O que há de mais cool nessas peças é que, além de serem sustentáveis, elas também carregam uma história e uma qualidade afetiva que se destaca. É muito mais significativo e cuidadoso usar um colar que foi feito com uma técnica milenar do que algo que pode ser encontrado em qualquer lugar, não é mesmo? Slow fashion também é super hype!

Como usar peças de slow fashion?

A qualidade e a história de peças sustentáveis de marcas e coleções slow fashion são perfeitas para um guarda-roupa único e que se destaca. Veja, nos tópicos a seguir, as melhores dicas para incorporar essa tendência nas suas produções!

Styling hi-lo

Hi-lo é um clássico recente que veio pra ficar e tem tudo a ver com o movimento slow fashion. Para começar a entrar nesse mundo, invista no mix de peças de brechó e roupas ressignificadas com itens super atuais e na crista da onda das tendências. 

Aqui, é válido mergulhar de cabeça nas peças atemporais que encontramos em vendas de segunda mão — como jaquetas jeans pesadas, calças mom jeans, camisolas de seda e camisas amplas de linho — e juntá-las com o que há de mais novo nas suas trends preferidas. O resultado vai ser um look cheio de personalidade e com o equilíbrio perfeito entre o clássico e o fresh. Tudo de bom!

Peças DIY

As peças reinventadas — como casacos de retalhos ou t-shirts bordadas e recortadas — também são excelentes para compor o look hi-lo. Com elas, vale investir no contraponto de partes de baixo e de cima mais neutras e slim, dando destaque para os detalhes DIY. Dica: vale soltar a criatividade e investir você mesma na reformulação de peças que você já tem. Recorte, cole, borde e repense novas formas de usar aquela sua peça preferida. O resultado fica moderno na medida certa!

Looks que contam histórias

Garimpar peças icônicas em brechós e garantir os itens daquela coleção sustentável e especial da sua marca preferida é uma atividade afetiva e criativa. Incorporar o movimento slow fashion no seu modo de se vestir e comprar é garantir, na certa, produções que são carregadas de significado e que contam muito sobre sua personalidade e essência.

Por isso, não se acanhe na hora de “viajar” nesses looks: junte peças que têm histórias importantes para você e dê destaque a cada detalhe handmade. Você vai se destacar na multidão, sem dúvidas! 

Bônus: tecidos e texturas

Tecidos clássicos e técnicas artesanais se destacam na moda por serem visualmente mais interessantes. As cores dos materiais, os efeitos das técnicas e a textura das peças são imediatamente reconhecíveis como algo especial e chique. Por isso, o bônus de investir em peças de produtores locais e outras formas de slow fashion é garantir esse visual instigante. 

Invista em peças únicas e acessórios que são one of a kind — eles podem se tornar curingas nas suas produções e elevar até aquele look mais básico e simples.

Gostou de saber tudo sobre o movimento slow fashion, itens de moda handmade e práticas sustentáveis? Não vê a hora de investir num acessório cheio de afeto e que vai complementar suas produções com muito mais personalidade? Trazemos agora a dica certa pra você! Confira a coleção Coolmade da Isla, inspirada em materiais naturais e técnicas artesanais repletas de história. Invista!

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Leia Mais
Colorimetria: como descobrir qual paleta de cor combina com você